Casos clínicos

Caso clínico 1:
 
J.K.N., 45 anos, sexo feminino.
Q.P: " tosse crônica"
H.M.A.: paciente refere tosse há 60 dias com hemoptise. Refere febre vespertina e sudorese noturna. Relata emagrecimento de 10kg nesse período. Refere astenia e anorexia. Nega dispnéia.
H.P.: DM tipo 2. Nega HAS. Nega alergias.
H.F: Refere que o marido estava com um quadro semelhante, mas não sabe o que é.
H.S.: Tabagista há 20 anos (1carteira/dia)
 
Exame Físico:
BEG, corada, hidratada, eupneica, febril
Cabeça e pesocoço: n.d.n
AR: MV+ bilateralmente com sopro tubario em ápice de pulmão direito
ACV: BCRNF sem sopros
Abdômen: plano e flácido, indolor a palpação
MM: sp
 
Exames complementares:
Raio X de tórax:
Rx de tórax

    Qual a principal hipótese diagnóstica? Quais outros exames podem ser solicitados para confirmação diagnóstica?

    Tosse crônica associada a hemoptise, febre vespertina e sudorese noturna, emagrecimento, astenia e anorexia são sinais e sintomas compatíveis com Tuberculose Pulmonar. O principal diagnóstico diferencial no caso é o Ca de pulmão que se manifesta com uma clínica semelhante. A paciente em questão tem um histórico de tabagismo de longa data, e a hipótese de Ca não pode ser deixada de lado, mas o que nos chama a atenção é um histórico de quadro semelhante do marido.
    A tuberculose se dissemina através de aerossóis expeldos quando pessoas com Tb tossem ou espirram. Contatos próximos (freqüente) têm alto risco de se infectarem.
    Para fazermos a confirmação diagnóstica podemos realizar :
    • Escarro : com 3 amostras em dias consecutivos, coloração de Ziehl-Neelsen e cultura de BK,além de citologia a procura de células neoplásicas.
    • Hemograma e VHS
    • PPD
      • <5mm = não reator
      • 5 – 9 mm = reator fraco
      • >10 mmm= reator forte

    Além disso, em caso de dúvida, pode-se realizar PAAF ou biópsia para descartar ou confirmar o diagnóstico de câncer.